A teoria molecular do magnetismo tenta explicar os fatos que regem os fenômenos da imantação. Essa teoria afirma que cada molécula constitui pequeno ímã: as moléculas, no ferro e no aço não imantados, estão agrupadas de maneira desordenada, mas sempre de acordo com a lei de atração entre pólos opostos. Em conseqüência, os círculos magnéticos no interior do metal estão fechados e, por tal motivo, não há manifestação atrativa externamente.

As diferentes posições que as moléculas podem tomar quando não há magnetismo, estão representadas na figura 10 com aumento exageradíssimo. Quando uma barra de aço é colocada no interior da hélice formada por fio condutor percorrido pela corrente elétrica, as moléculas dessa barra se enfileiram simetricamente com o eixo da hélice, obedecendo sempre às leis da atração. Daí resulta que os circuitos magnéticos fechados internos se rompem, fazendo com que a barra de aço adquira propriedades magnéticas. A figura 11 indica a posição que as moléculas tomam quando se põem em ordem.

Please follow and like us: