Dois depósitos cilíndricos semelhantes, possuem cada um capacidade de 100 litros e estão ligados ao tubo C munido de um manómetro M. Cada êmbolo E exerce a pressão de 10 quilos, mas verifica-se que o referido manómetro regista unicamente esses 10 quilos, como se existisse apenas um depósito. Acrescentando-se lateralmente mais depósitos, nem por isso a pressão aumenta: ela permanecerá invariável. Apesar de a pressão não ter aumentado, a quantidade de água que pode passar pela válvula do tubo de descarga aumenta na proporção do número de depósitos acrescidos. A capacidade total dos dois depósitos é de 200 litros, e a de 6 seria de 600.

Os depósitos estão associados em série e. por consequência, há soma de pressões ao passo que estão eles dispostos em paralelo, de onde resulta soma de volumes. Nos elementos de pilha, a carga eléctrica total depende da quantidade de zinco sujeita à acção química. Suponhamos que a pilha fornece 1 ampere-hora por centímetro quadrado de zinco exposto ao ácido. Para se obter dela uma carga eléctrica maior, aumenta-se a superfície do zinco, o que pode ser conseguido de duas maneiras: ou construindo uma pilha muito grande, ligando entre si as placas do mesmo nome de duas ou mais pilhas (zinco com zinco, carvão com carvão). Em A as placas de zinco de um par de pilhas estão ligadas entre si por fio condutor: é como se existisse uma placa maior, de superfície duplicada. Diz-se que tais pilhas estão associadas
em paralelo, ou derivação.

Please follow and like us: