A pilha Daniell é do tipo de dois líquidos. Compõe-se ela de um copo de vidro grande e cilíndrico, no centro do qual se acha um vaso de barro poroso que, por sua vez, contém um bastão de cobre (o cobre faz as vezes a mesma função do carvão da pilha improvisada). Em vez da solução de sal amoníaco, temos agora, como líquido excitador, água acidulada com ácido sulfúrico a 10%. Uma chapa de zinco, imersa em tal líquido, envolve totalmente o vaso poroso.

Uma solução concentrada de sulfato de cobre, contida no vaso poroso, constitui o líquido despolarizante. O sulfato de cobre age como despolarizante que absorve as bolhas gasosas e poderia ser unido ao líquido excitador, entretanto o zinco seria rapidamente consumido. A finalidade do vaso poroso é, pois, de separar o líquido excitador do líquido despolarizante, sem impedir a passagem de corrente elétrica A força eletromotriz do elemento é de 1 volt.

A pilha Daniell apresenta, porém, grave inconveniente: ao fim alguns meses de funcionamento, o vaso de barro perde a permeabilidade em virtude de ficarem os seus poros obstruídos por depósitos de cobre: tal vaso precisa ser substituído.

Please follow and like us: