Pode-se neutralizar a auto-indução em uma bobina ou solenoide, desde que se enrole uma metade do fio para a direita, e a outra metade em sentido oposto. O fio condutor que se vai utilizar será dobrado pela metade, começando-se o enrolamento por esta dobra, como se fosse um fio só. E claro que a corrente elétrica que circula em duas destas espiras vizinhas tem sentido oposto e, conseqüentemente, a auto-indução de cada espira fica compensada. Tal bobina não indutiva (ou sem indutância) oferece, praticamente, a mesma resistência, seja ela percorrida pela corrente alternada ou pela contínua.
Introduzindo-se um núcleo de ferro em semelhante solenoide, não aparecerá a polaridade N e S, pois a corrente que circula através de 50 por cento das espiras tende a criar o pólo N em um dos extremos
do núcleo, quando nos outros 50 por cento a tendência será produzir pólo S nesse mesmo extremo. As bobinas de resistência das figuras 54 e 96 não têm indutância, isto é, estão enroladas como indica a figura
136, a fim de se evitar a influência da indução sobre o galvanômetro.
Uma lâmpada incandescente forma praticamente uma resistência não indutiva; um eletroímã apresenta uma reactância Indutiva por excelência.

Please follow and like us: