A força eletromotriz induzida nas bobinas superior e inferior a e d situadas no lado direito tem mais ou menos o mesmo valor: 2 volts em cada uma, por exemplo. Assim sendo, as bobinas centrais b e c desenvolvem, no mesmo instante, tensão maior, uma vez que ocupam a posição em que o corte de linhas de indução é quase máximo: suponhamos que cada uma destas últimas bobinas desenvolve 4 volts. A força eletromotriz na metade direita do induzido será, portanto, de 12 volts, pois as bobinas estão ligadas em série (a= 2, b- 4, c=» 4, d= 2, total 12 volts). De modo semelhante, na outra metade do induzido haverá também a força eletromotriz de 12 volts (h-2, g=4, f=4, e = 2, total 12 volts).

Estando as duas metades do enrolamento ligadas em paralelo, a força eletromotriz nas escovas El E2 será também de 12 volts como se cada metade representasse uma bateria de pilhas de igual tensão e as duas baterias estivessem também ligadas em paralelo. A intensidade da corrente no circuito exterior será a soma das intensidades verificadas em cada metade do enrolamento: se no circuito exterior for de 10 amperes, cada metade será percorrida por 5 amperes.

A soma das forças eletromotrizes das bobinas e a corrente que delas emana, podem ser melhor entendidas mediante caso análogo que se dá com as baterias de pilhas. Na figura, os dois grupos de quatro baterias ligadas em série, e os grupos por sua vez ligados entre si em paralelo, representam o induzido de anel que acabamos de estudar. A tensão está assim distribuída: a. d. e e h = 2 volts cada um; b, c, f e g = 4 volts cada um. A força eletromotriz que atua sobre o circuito exterior é de 12 volts e a corrente que por ele circula é, suponhamos, de 10 amperes. Portanto, cada grupo de pilhas (o direito e o esquerdo da figura) é atravessado por uma corrente de 5 ampères.

Please follow and like us: