Até aqui sempre consideramos o dínamo como sendo bipolar, uma vez que o seu Induzido girava entre um par de pólos de um único eletroímã em forma de U Entretanto, o campo bipolar não é adequado a dínamos de grande potência: a grande rotação que se devia imprimir ao induzido não seria prática sob o ponto de vista mecânico Dispondo maior número de eletroímãs sobre uma carcaça magnética aproximadamente circular, com os seus pólos dirigidos para o centro, as bobinas do rotor, girando entre maior número de poios, cortam mais linhas de indução magnética em cada revolução Assim sendo, com menor velocidade pode-se obter a mesma potência. (Menor velocidade representa maior segurança.)
Os dínamos que tem mais de um par de pólos, chamam-se multipolares. O número desses pares, teoricamente, pode ser muito elevado, embora na prática raramente vá além de oito A figura representa os circuitos magnéticos de um dínamo de quatro pólos. Enrola-se uma bobina magnetizadora sobre cada saliência ou núcleo do indutor.
Ai quatro bobinas são ligadas em série de maneira tal que, quando circula a corrente pelo induzida se produza primeiro um pólo N e depois um S. As linhas de indução de cada núcleo dividem-se em dois circuitos magnéticos, e a sua densidade é sensivelmente uniforme ao passar do pólo N para o núcleo do rotor, ou deste para o pólo S.

Please follow and like us: